terça-feira, 11 de agosto de 2009

Evento: criança não quer tomar banho

A verdade é que a minha cabeça produz lentamente, o que me impõe, teoricamente, certos procedimentos impraticáveis na vida real: querer trabalhar em silêncio, por exemplo. Doce ilusão, mamãe.

O telefone, a campainha e até o meu Windows com transtorno bipolar são fichinha perto do evento que consiste, basicamente, na minha filha empreendendo uma catástrofe aquática e sonora em vez de sim-ples-men-te to-mar ba-nho.

A cabeça das crianças de dois anos é fascinante e, ao mesmo tempo, de enlouquecer. Vejamos, não há nada de ruim acontecendo. É só um banho. Certo? Xampu, sabonete, Bob Esponja e água. Uma babá inacreditavelmente amorosa para ajudar. E a mãe querendo trabalhar no quarto ao lado.

Pronto, é isso. Por que alguém gritaria?

Pois as crianças gritam, sacolejam, movimentam-se do modo mais improvável e realizam façanhas cinematográficas a fim de exprimir um único sentimento: “não quero”. As crianças querem com muita força, é verdade, mas elas não querem com tamanha decisão e confiança que o nãoquerer chega a virar um verbo, uma palavra só. Nãoquero e fim. É só o início do meu tormento.

Trocaram o meu bebê, foi isso. Levaram a fofa da minha menina e puseram essa criatura espinhosa e ensaboada aí na banheira, virando cambalhotas em protesto e gritando duas oitavas acima do limite tolerável. Procura-se bebê seco, limpo e gentil, urgente. Vendo banheira. Vendo banheiro, apartamento, tudo!

Outra possibilidade: minha filha – a verdadeira, doce e carinhosa - é como uma bonequinha que muda de cor ao mergulhar na banheira. Só que ela muda de humor. E de cor também: as bochechas ficam vermelhas e o ambiente, cinza embaçado. E a minha paciência, roxa com bolinhas verde musgo, procurando o botão para reiniciar o dia, o banheiro, o apartamento, tudo!

Procuro minha filhinha duas oitavas abaixo. Procuro uma habilidade circense para educar, trabalhar, rir e não ter uma úlcera como hobby (para desopilar no trapézio?).

OBS: Me ocorreu agora que um dia ela vai ler tudo isso. Mãe, como assim “procuro minha filhinha duas oitavas abaixo?”. A mamãe estava brincando, filhota. E menos mal que vamos terminar a conversa ao piano e violão, com seu pai.

11 comentários:

Marton Olympio disse...

O fato que o meu tem 12.
Tirando o Bob Esponja é tudo a mesma coisa.
Só que agora a reclamação tem ficado mais grossa. :)

Mas vai dar saudade. Vc vai ver!

bibi disse...

Kkkkkkkkkkkkkk!
Valeu, Marton! Engrossando a bronca e afinando a saudade, já estou avisada...
;o)

Eliana disse...

Ok, então fica combinado assim: quando ela vier dormir na casa da vovó, dispensa-se o banho. rs....

Letícia Volponi disse...

A minha faz o mesmo espetáculo dramático, mas para sair do banho... Acho que se depender dela fica lá até criar raízes que nem mudinha de violeta...

bibi disse...

Mãe minha,
os hábitos de higiene da criança devem seguir exatamente como quando estão em casa, uma vez que se hospedem na casa dos avós.
Portanto, a solução é improvisar uma maneira lúdica, motivadora e criativa de banhar a menina. E não PRIVÁ-LA do banho!!
(Ai, mas eu tenho que ensinar TUDO!).

bibi disse...

Letícia,
a minha faz exatamente o mesmo espetáculo DUAS VEZES: ao banhar-se e, em seguida, ao desbanhar-se.
Fui apenas gentil ao não mencionar a saída da banheira - outro procedimento complicadíssimo!!
Rsrs.
Beijos e boa sorte para nós.

Angélica disse...

KKKKKKKKKKKKKKK. O meu agora, com 2 anos e 8 meses até gosta do banho (dias pares, hahaha), mas não quer lavar e especialmente enxugar os cabelinhos. É um chororô sem fim! Ai, céus ...

Paloma, a mãe disse...

Ahahaha, a minha não se ttransforma só no banho, detesta trocar de roupa também.
Beijos

Patricia disse...

Ainda estou na fase "criança não quer parar um minuto para trocar a fralda" e "criança não quer parar um minuto para comer". O banho ainda está tranquilo. Já vi o que me aguarda!Ai, ai.

bibi disse...

Meninas, a Lara soma todos esses "atributos", modestamente: não quer tomar banho, depois não quer lavar o cabelo, depois se recusa a enxaguar, depois esperneia para sair da banheira, depois odeia ser seca e, finalmente, briga para trocar de roupa.
Aff! Ainda bem que não é sempre, há dias em que tudo corre em paz. Ou quase.
**

Patrícia: não se apoquente, há coisas que ficam muuuuito mais fáceis quando elas começam a entender melhor o que a gente diz, se locomover com facilidade, etc.
Hehe. Beijos!

Norton disse...

Oi Bibi, tudo bem?
A Symantec divulgou semana passada mais alguns dados relacionados às crianças na Internet e eu achei que você pudesse se interessar.
De acordo com uma pesquisa realizada entre crianças e adolescentes de todo o mundo, os termos ""sexo"" e ""pornô"" estão entre as palavras mais buscadas por eles na Web. Os termos perdem apenas para: Youtube, Google, Facebook e Myspace.
A lista com as 100 palavras mais procuradas foi produzida depois que a Symantec avaliou 3,5 milhões de pesquisas feitas pela ferramenta OnlineFamily.Norton, que permite que os pais vejam o que crianças estão pesquisando e com quem estão falando em mensagens instantâneas e que redes sociais estão usando.
Se você desejar receber um material com mais informações, por favor me enviei um e-mail: giovanna.carvalho@edelman.com
Abraços