sexta-feira, 30 de abril de 2010

Presente de Dia das Mães

No café da manhã, perguntei a ela o que vou ganhar de presente de Dia das Mães. Preparem-se para a resposta.

"Ãhn... Uma vassoura!".

Sim, senhoras. Minha filha de três anos pretende me dar uma vassoura de Dia das Mães. Que mimo, não? Como sou corajosa e prudência não é meu forte, quis saber logo o que eu faria com a tal vassoura.

"Ué, você vai varrer o salão para o dia da festa!".

Sei que vocês suspiraram de alívio junto comigo. Já estávamos, vocês e eu, vendo esta pobre diaba estreando o novo meio de transporte aéreo, cutucando as nuvens com a ponta do nariz - ou com a verruga, o que for maior na ilustração imaginária de cada um. Nã-nã-não: haverá uma festa, isso sim. Brindemos.

Se há uma festa de Dia das Mães (ou assim imagina minha filha), já saio no lucro. Jamais mencionei comemoração alguma; apenas perguntei sobre o presente. Se ela associou uma coisa à outra, há de ser bom sinal... E, se me vê limpando o salão para o grande dia, o que pensar disso?

Bom, justamente, como eu ia dizendo, do ponto de vista poético, ou mesmo da função histórica, se entendermos a narrativa como um todo, resumindo, é o seguinte: ela me vê como uma fada bondosa que, após dias de caos intenso e sujeira desmedida, põe-se a organizar o recinto e consegue, enfim, a façanha de proporcionar à família, aos convidados - e, por que não?, à humanidade! - um momento de celebração incrível, desfrutando de um cenário impecável.
...
Putz, mas tudo isso eu podia fazer com uma varinha.
Tinha que ser vassoura?
Tinha?

4 comentários:

Paloma disse...

heheheeheh...é a imaginação infantil com um toquinho de realidade...bjo
Paloma e Isa

viciados em colo disse...

rá, adorei...

Angélica disse...

huahuahuahua ... muito boa essa. Larinha tá com tudo.
Beijos

Letícia Volponi disse...

muito boa!!! morri de rir...