quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Desmame

“... a experiência da amamentação ao peito levada a cabo com êxito constitui uma boa base para a vida. Fornece sonhos mais férteis e habilita as pessoas a aceitarem riscos.

Mas tudo que é bom deve chegar ao fim, como é costume dizer. Faz parte da coisa boa que ela acabe.”
...
“No desmame, a finalidade é realmente usar a crescente capacidade da criança para livrar-se das coisas e fazer com que a perda do seio materno não seja apenas uma questão de acaso.”
...
(O desmame) “Inclui o processo gradual de demolição de ilusões, que é uma parte da tarefa dos pais.”

A Criança e Seu Mundo - D. W. Winnicott

***

Deixo um pouco de lado minhas gaiatices literárias para falar de um assunto “técnico” da maternidade. Lara está com 11 meses e meio, e estamos começando agora o processo de desmame.

Sei que tem muita mulher grávida que vem ao Casaquinho e não tem a menor noção de como será a sua vida nos próximos meses (como eu também não tinha, e ainda não tenho, porque um bebê muda no exato momento em que a gente pensa que está aprendendo a lidar com ele).

Então, o que dizer da experiência da amamentação?

Cada mulher tem a sua, óbvio, e vou falar da minha – com intimidade e sem rodeios, como penso que devem ser tratados esses assuntos. Não acho, contudo, que “sem rodeios” dispense delicadeza. Ao contrário; tudo em maternidade é experiência direta e, por isso mesmo, extremamente delicada.

O início foi doloroso. Tive ótima assistência de uma enfermeira simpática na maternidade, que me ensinou (e desconfio que também à Lara) os primeiros passos do contato do bebê com o seio. Na verdade eu senti que esse contato é mão dupla: parece que o seio, de uma hora para outra, ganha ares de indivíduo.

E como doíam os meus pobres indivíduos no começo. A Lara pegava o bico do seio de modo certinho, mas, às vezes, não abocanhava toda a auréola (como deve ser), e aí a dor era inevitável. Mas não insuportável. O que me salvou foi a pomada Lancinoh, recomendada pelo obstetra, da qual já falei aqui algumas vezes. Mágica.

Cerca de oito semanas depois, tudo passou e a amamentação virou apenas uma mistura de “aluguel” (você fica presa de três em três horas) e prazer do contato íntimo com o bebê. Quando a Lara fez 4 meses, passou para intervalos de 4 horas. E assim foi por um bom tempo.

Cada mulher decide quando e como vai desmamar – naturalmente, se tudo estiver correndo bem. No meu caso, o pediatra da Lara sugeriu que fizéssemos perto do primeiro aniversário dela e eu concordei. Estamos iniciando o processo de forma gradativa e ela não tem apresentado dificuldade alguma.

Vou explicar mais ou menos como foi/está sendo.

- Aos 10 meses de idade, ela já estava mamando só três vezes ao dia. (Às 7h da manhã, às 2h da tarde e às 8h da noite).

- Quando fez 11 meses, decidimos tirar a mamada das 2h da tarde e, em vez disso, iniciar uma vitamina de leite Ninho 1+ batido com fruta no meio da tarde. Foi a primeira vez que ela bebeu leite sem ser o meu. Adorou e não teve nenhum problema com a mamadeira.

- Agora, com 11 meses e meio, vamos também tirar a mamada da noite, introduzindo no lugar dela o Nestogeno ou Nan2 (leite em pó).

- Por enquanto, vai ficar só com a mamada da manhã, assim que acorda. Essa eu ainda não sei quando vou tirar, mas certamente será nos próximos meses.

A seguir, cenas dos próximos capítulos. Se alguém tiver alguma dúvida levante o mouse!

5 comentários:

Elisa Trevisani disse...

Olá, quando li a sua história com a pequena Lara parecia que estava lendo a minha com o meu pequeno Pedro!
Hoje ele está com 11 meses e meio e a médica me aconselhou a começar o desmame, exatamente da maneira que vc fez: leite Ninho nas mamadas da tarde, com frutas.

Gostei muito do blog!

RAQUEL disse...

QUERIDA AMEI O SEU JEITO DE DESMAME VOU ENTRAR NOVSMENTE QND EU DESMAMAR AMINHA QUE VAI SER BEM PRECOCE

RAQUEL disse...

HÁ E QUERO VER OS PROXIMOS CAPITULOS

Sinara disse...

Oi, eu tenho um bebe com 18 dias, ele mama super bem, o problema, segundo o medico, eh que nao estah conseguindo ganhar o peso desejado: estou fazendo alguma coisa errada? Apesar dele mamar bastante, o peso nao aumenta, tem algo a ver com o modo de dar de mamar? Me ajudem!!!

bibi disse...

Sinara, querida,

não sou uma especialista, sou apenas uma mãe de primeira viagem. Mas, como estou mais ou menos informada sobre o assunto, a dica que posso te dar é:

quanto mais o bebê mama, mais leite você produz. Se ele não está ganhando peso, é sinal de que não está mamando o suficiente.

Se você diz que ele mama "super bem", talvez o problema esteja na freqüência com que ele mama - ou seja, ele mama bem, mas poucas vezes ao dia.

Uma pergunta: você acorda o seu bebê DURANTE O DIA para mamar? Aos 18 dias, muitas vezes os bebês dormem e simplesmente não acordam de fome. O pediatra da minha filha foi bem claro logo que saí da maternidade: ACORDE a sua filha para mamar, durante o dia, de 3 em 3 horas.

Se o seu filho pesa menos de 2.900kg, há um livro muito bom - que eu tenho e recomendo! - que diz que ele deve ser acordado para mamar de 2 em 2 horas. Ao atingir essa marca, passa para intervalos de 3 horas - e assim seguirá até os 4 meses de idade.

O nome do livro é: "A Encantadora de Bebês Resolve todos os seus problemas - Sono, alimentação e comportamento. Do nascimento aos primeiros anos da infância", e a autora é TRACY HOGG. É praticamente um manual de instruções!

Mas, falando sinceramente, é muito complicado dar dicas nesse assunto, porque pode ser uma porção de outras coisas, e só mesmo um pediatra para orientar com propriedade.

Busque ajuda, e não encuque: você não está fazendo nada de errado!!Seu filho é um recém-nascido, vocês dois estão passando por essa fase de adaptação que é muito natural, oras.

e outra coisa: eles são muito mais fortes do que aparentam. Não encucar!

Dê notícias. Beijos.