quinta-feira, 6 de março de 2008

Música

Filhota,

quando a mamãe canta “atirei o pau no gato”, é música. Só música. Não tem pau e não tem gato. Ao mesmo tempo, tem todos os gatos do mundo, e todas as mães que cantam para todas as crianças da Terra (e as que já cantaram, e as que cantarão um dia), e todas as donas Chicas, e todas se admiram do berro que dá o gato que não há.

Assim é música. Parece que não tem nada dentro, mas é só fechar os olhos para a gente enxergar que, na verdade, tem tudo - e cada vez vai tendo mais. Ouve só.

3 comentários:

Malena disse...

Ô, Bibi! Tem versão nova!

Atirei o pau no gato-to-tô!
Mas isso-sô, não se faz, faz, faz!
O gatinho-nho-nhô
É nosso amigo-gô!
Não devemos
Maltratar os animais!

beijos!

Anônimo disse...

Oi Bibi,
Ando bem atrasada com minhas leituras. Salzburg é o máximo. Hora dessas vou tb.

Birra! Ihhh vai ser birrenta sempre. Eles não mudam.

Se quiser cantar sem remorsos ou sem ter que se explicar, a versão que aprendi é:

Não atire o pau no gato-to
Porque isso-so
Não se faz, faz, faz

O gatinho-nho-nhô
É nosso amigo-gô!
Não devemos
Maltratar os animais

Beijos e divirtam-se.
Alice Martins

Wallace Fauth disse...

Que "atirei o pau no gato" mais chique!
Abraço.