sexta-feira, 24 de abril de 2009

Se eu pego esse tal de Freud

Brincávamos de rolar na cama, os três. Papai deitou-se, e ela logo se aninhou em volta dele. Mamãe aqui ousou se enroscar junto, mas ganhou logo um cartão vermelho:

- Nããããão, mamãe, nãããão! (E me empurrava, incomodada).

- Quer dizer que eu não posso dormir aqui?

E ela, apontando para o meu travesseiro lá no outro canto:

- Dorme ali na sua vaguinha*, mamãe. Na sua vaguinha.

* Ontem eu brincava de carrinhos com ela. Estacionávamos as miniaturas em suas “vaguinhas”, e cada qual ia dormir no seu canto sem interferir no espaço alheio. Daí o termo, recentemente adquirido, e agora aplicado de forma a expelir o único objeto não desejado do sistema: no caso, euzinha.




Lição do dia: não basta ser mãe; tem que respirar fundo e ser também Total Flex...
Mas cada um na sua vaguinha, please.

5 comentários:

Luíza disse...

te achei futucando todos esses blogs maternais!

sem querer comparar com ninguém, mas o seu está nos tops!
vou te linkar no meu blog, tudo bem??

bjosss

luíza

Paloma, a mãe disse...

Ahahaha, minha filha mal fez 2 anos e também já começou a me excluir. Um dia desses, em casa, os três saindo para passear, ela decretou: "mamãe fica, papai vai".

bibi disse...

Obrigada, Luíza, por me considerar nos "tops"! Meu top-ego-de-mãe ficou inchado!
--
Ah, e obrigada pelo link!
--
Paloma,
que booooom saber que não estou só! Rsrsrsrs!
Mas deixa estar, chegará o dia da Liquidação no Shopping, e quero ver quem vai com elas brigar pela sandália mais disputada...
Hoho.
Beijos!

Angélica disse...

KKKKKKKKKK
Beijos.

GG disse...

Ahahahaa! Excelente raciocínio dela! :)